O uso correto do pronome relativo é fundamental na gramática portuguesa. No entanto, muitas vezes, os falantes da língua não empregam o pronome de maneira adequada, o que pode levar a erros de compreensão e a uma comunicação pouco clara.

O exemplo Eis as apostas que me referi é um exemplo de erro comum na utilização do pronome relativo em português. Nesta frase, o pronome que foi empregado de maneira incorreta, pois não há um antecedente para este pronome na sentença.

Para compreender o erro presente neste exemplo, é necessário conhecer as regras gramaticais para o uso correto do pronome relativo em português. O pronome relativo é utilizado para unir duas orações, fazendo a relação entre elas por meio de um termo comum.

Em outras palavras, o pronome relativo sempre retoma um termo anterior na frase, conhecido como antecedente. Na sentença Eis as apostas que me referi, falta um antecedente para o pronome que, o que torna a frase gramaticalmente incorreta.

Ao analisar este erro, é possível identificar que o falante provavelmente queria dizer Eis as apostas a que me referi. Nesta nova sentença, o pronome que foi substituído pelo pronome a, que indica a relação de posse entre as apostas e o sujeito.

Outra forma correta de expressar a mesma ideia seria: Eis as apostas às quais me referi. Neste caso, o pronome relativo quais é utilizado para fazer a relação entre as apostas e o sujeito da sentença.

Portanto, é essencial compreender as regras gramaticais para o uso do pronome relativo em português, a fim de evitar erros comuns como o observado em Eis as apostas que me referi. A análise deste erro pode auxiliar na compreensão da língua e na melhoria da comunicação escrita e falada.